quarta-feira, 29 de junho de 2011

terça-feira, 28 de junho de 2011

BOTI E OS SEUS AMIGOS DA AMAZÓNIA


video

Trabalho de expressão plástica e reconto da estória Boti e os seus amigos da Amazónia, pelas crianças do JI das Fontainhas, Arrifana, durante a Semana da Leitura 2011.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

A MENINA DO MAR

Depois da leitura de A Menina do Mar, de Sophia de Mello Breyner Andresen, os alunos do 3º ano da EB1 do Outeiro fizeram várias rimas dedicadas às personagens do conto e cantaram-nas no Dia do Agrupamento, apresentando o seu trabalho à comunidade escolar.



video

terça-feira, 21 de junho de 2011

ULISSES - DRAMATIZAÇÃO

O Clube de Teatro da escola, coordenado pela professora Sílvia Correia, levou a cena uma adaptação teatral de Ulisses, uma cativante estória de aventuras de Maria Alberta Menéres. Parabéns aos actores e à encenadora que apresentaram um bonito espectáculo.












A canção das sereias que tentam seduzir Ulisses


video

A MENINA DO MAR - EXPRESSÃO PLÁSTICA

segunda-feira, 20 de junho de 2011

OLIMPÍADAS DA LEITURA 2010-2011

Estão apurados os vencedores das Olimpíadas da Leitura deste ano lectivo, uma actividade de promoção da leitura proposta e coordenada pela BE em parceria com os professores de Português de 2º e 3º ciclos.
2º ciclo
1º lugar: Ana Catarina Costa, 5ºD; André Barros, 5ºD
2º lugar: Márcia Rebelo, 6ºA
3ºlugar: Esmeralda, 5ºC

3ºciclo
1º lugar: Emanuel Bento, 7ºD
2º lugar: Cátia Martins, 7ºA
3ºlugar: Sara Silva, 8ºA; Sara Glória, 9ºB
O prémio para o melhor passaporte da leitura foi entregue ao aluno Rui Chaves, do 6ºA, por ser o dono do passaporte mais bonito.

sábado, 18 de junho de 2011

JOSÉ SARAMAGO

Faz hoje um ano que o nosso Nobel da Literatura nos deixou. A melhor forma de homenagear o escritor, que levou longe o nome de Portugal e da Literatura Portuguesa, é ler a sua obra pois, essa sim, permanecerá viva para sempre.
Na BE, o leitor poderá encontrar alguns dos seus livros (ver aqui) e tirá-los da estante para os ler.
Para leitura de fim de semana, sobretudo para os alunos que vão fazer exame de Português no próximo dia 20, aconselha-se a leitura de O conto da ilha desconhecida, uma boa forma de pensar no mundo, na vida, nos valores e nos sentimentos e de aprender que a força de vontade e a perseverança fazem com que a fantasia chegue a bom porto.

Segundo o próprio autor, nós somos uma ilha desconhecida: desconhecida dos outros e de nós próprios, por isso temos de partir à sua procura e descoberta.

domingo, 12 de junho de 2011

"UM TOSTÃO PARA SANTO ANTÓNIO"

Os santos populares estão aí. E porque, em Lisboa, é costume os miúdos pedirem "um tostãozinho para o Santo António", que se festeja amanhã, fiquemo-nos com este bonito conto de António Torrado.

"Andava um garoto a pedir um tostãozinho para o Santo António. Uns davam, outros não.
Até que passou por ele um senhor de sobretudo comprido, até aos pés, e de sandálias, vejam bem. E se estava frio!
O garoto, cá de baixo, reparou no desconcerto, não deu importância. E vá de pedir:
— Dê-me um tostãozinho para o Santo António...
O senhor do sobretudo castanho todo esfarrapado debruçou-se para o miúdo e, sorrindo, disse-lhe assim:
— Tanto andas tu a pedir como eu. Hoje ainda não me deram nada.
— A mim já — respondeu o garoto. — Quer ver?
E mostrou-lhe, na palma da mão, umas tantas moedas. O mendigo contou-as.
— Davam e sobravam para pagar uma sopa e um pão, ali, na taberna da esquina — observou o mendigo.
— Mas eu não tenho fome — preveniu o garoto. — A minha mãe deu-me de almoçar, ainda agora.
O senhor mendigo suspirou e disse:
— Pois a minha mãe já morreu. Deve ser por isso que ainda não comi nada, hoje...
O mocinho olhou para o homem, a certificar-se se seria verdade o que ele dizia. Os olhos tristes do mendigo garantiram-lhe que sim.
Foi a vez de o garoto suspirar:
— Este dinheiro era para eu comprar berlindes...
O homem de sandálias admirou-se:
— Mas tu, há bocadinho, não pedias para o Santo António?
O garoto riu-se:
— É um costume. Quero eu lá saber do Santo António! É tudo para os berlindes.
O mendigo não estranhou a revelação. Percebia-se, a conversa ia ficar por ali. Despediu-se:
— Ainda tenho hoje muito que andar. Adeus e boa colheita.
O rapazinho viu-o descer a ruela, num passo cansado. Então, num impulso, correu atrás dele e puxou pela ponta da corda, que o homem trazia à roda da cintura:
— Tome lá para um pão e para uma sopa. Mas não vá ali àquela casa da esquina, que são uns mal-encarados. Na outra rua abaixo, há mais onde comer.
O homem de sandálias e sobretudo roto, que lhe davam um ar de frade de antigamente, agradeceu as moedas e o conselho e seguiu caminho.
O garoto voltou ao seu poiso. E quando, pouco depois, porque estava frio, meteu as mãos nos bolsos, encontrou-os atulhados de berlindes..."
in, O mercador de coisa nenhumaPorto, Livraria Civilização Editora, 1999

sexta-feira, 10 de junho de 2011

DIA DE PORTUGAL E DE CAMÕES

"Ler Camões é mergulhar no que a nossa língua tem de mais belo e mais profundo e, portanto, é enriquecer o nosso conhecimento e utilização da língua que é também um instrumento importante para fazer face aos problemas".
Palavras do poeta Vasco Graça Moura, na véspera do Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades.
Quando dará Portugal nova motivação para outra epopeia tão grandiosa como a de Luís de Camões?



"As armas, e os barões assinalados
Que, da Ocidental praia Lusitana,
Por mares nunca dantes navegados,
Passaram ainda além da Taprobana,
Em perigos e guerras esforçados
Mais do que prometia a força humana,
E entre gente remota edificaram
Novo Reino, que tanto sublimaram;

E também as memórias gloriosas
Daqueles Reis que foram dilatando
A Fé, o Império, e as terras viciosas
De África e de Ásia andaram devastando;
E aqueles que por obras valerosas
Se vão da lei da Morte libertando:
Cantando espalharei por toda a parte,
Se a tanto me ajudar o engenho e arte.

Cessem do sábio Grego e do Troiano
As navegações grandes que fizeram;
Cale-se de Alexandro e de Trajano
A fama das vitórias que tiveram;
Que eu canto o peito ilustre Lusitano,
A quem Neptuno e Marte obedeceram.
Cesse tudo o que a Musa antiga canta,
Que outro valor mais alto se alevanta."




Os Lusíadas (Proposição)

quinta-feira, 9 de junho de 2011

JOGO DO 24

Decorreu na BE, dia 1 de Junho, o jogo do 24, uma disputa matemática entre alunos do 2º ciclo.


Os vencedores

quarta-feira, 8 de junho de 2011

BIBLON

BIBLON é um novo portal para jovens leitores. Além de sugestões de leituras para várias faixas etárias, podem ser lidas várias estórias e os leitores podem deixar comentários sobre o que leram.
Na sua página inicial podemos ler o seguinte apelo:
"Conta aos teus amigos os livros que estás a ler, faz comentários e partilha as tuas fotografias, vídeos ou desenhos.
Torna-te um leitor sempre em acção!"
Um portal a consultar e usar.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

CATA LIVROS



"A literatura para a infância e juventude tem nova morada: o site Cata Livros. Lançado há cerca de um mês numa iniciativa do projeto Gulbenkian/Casa da Leitura, usa o caráter lúdico e interativo da internet para dar a conhecer, a jovens leitores, um conjunto de obras infantojuvenis. O JL/Educação foi conhecer os cantos à casa, e falou com o coordenador do projeto, o escritor João Paulo Cotrim."

Mais informação aqui.

DIA MUNDIAL DA CRIANÇA




Numa actividade conjunta, organizada pela professora de EMRC e pela professora bibliotecária, as turmas 5ºC e 5ºA estiveram na BE para ouvirem falar e para falarem dos direitos das crianças e dos casos em que não são cumpridos. Os livros sobre o tema sairam da estante e foram lidas algumas passagens.

Porque:

  • há crianças sem lar e sem afecto
  • há crianças que não vão à escola
  • há crianças vítimas de violência
  • há crianças que passam fome e não têm cuidados de saúde
  • há crianças que vivem em países em guerra
  • há crianças raptadas, vendidas e escravizadas
  • há crianças a trabalhar e são exploradas
  • há crianças que não sabem conjugar os verbos brincar e sorrir.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...