terça-feira, 26 de fevereiro de 2008

"UM PODER CHAMADO PALAVRA"

A palavra tem poder, ninguém o nega. A palavra do poeta tem mais poder ainda. E foram palavras poderosas, fortes, sentidas, apaixonadas e também divertidas as dos nossos poetas na boca do diseur Nuno Miguel Henriques, autor, encenador, co-produtor, actor e director artístico do Teatro Azul – Companhia Profissional.
Uma hora bem passada, hoje, na companhia dos poetas. Graças a Fernando Pessoa, Florbela Espanca, Luís de Camões, Almada Negreiros, João Villaret, João de Deus, José Régio, Cecília Meireles, Augusto Gil, António Aleixo, Miguel Torga, Eugénio de Andrade, Almeida Garrett, Sophia de Mello Breyner, António Lobo Antunes muitos livros saíram da estante.
Interessante é o facto de o espectáculo nunca ser igual; varia segundo o público que assiste, uma vez que há interactividade e os poemas são seleccionados de acordo com as solicitações/adesão dos espectadores. Podemos ouvi-los e saber mais sobre a Companhia no seu site. Para desmistificar a poesia e provar que, afinal, até nem é aborrecida.

Uma vez que se pretende fazer chegar a poesia aos jovens e estes são viciados em telemóveis, Nuno Miguel Henriques sugeriu-lhes o livro A alma não é pequena para o usarem e dele abusarem. Trata-se do primeiro livro de poesia para telemóveis que contém uma selecção de 100 poetas e dentro dos seus pequenos poemas seleccionam-se passagens com menos de 160 caracteres para serem enviadas por SMS.

domingo, 24 de fevereiro de 2008

APROVEITAR O AMOR PARA APRENDER FRANCÊS

Uma vez que ainda estamos no mês em que se comemora o amor, aproveitemos o video que se vai seguir na próxima mensagem para aprender francês com a Disney. Aqui fica a letra da canção cantada por Priscilla.

Toujours pas d'amour (3 fois)

Des saluts, des bonjours
Sourires de velours
Mais toujours pas d'amour
Des fleurs, des discours,
Des appels au secours,
Et toujours pas d'amour
Comme dit mon coeur
De son air moqueur
Rien à l'horizon
Comme dit ma tête
Faisant sa mauvaise tête
Je suis en prison
{Refrain:}
J'ai beau garder les yeux
Grands écarquillés
Je ne vois que
Des saluts, des bonjours
Sourires de velours
Mais toujours pas d'amour
Des fleurs, des discours
Des appels au secours
Et toujours pas d'amour
La foudre est tombée
Et tout a flambé
Juste à côté de moi
Mais l'éclair de feu
Qui rend amoureux
N'était pas pour moi
{Refrain:}
J'ai beau garder les yeux
Grands écarquillés
Je ne vois que
Des regards un peu lourds
Et des mots balourds
Mais toujours pas d'amour
Sourires de vautour
Dis, tu viens faire un tour
Et toujours pas d'amour
Les gens et les jours
Retards et retours
Mais toujours pas d'amour
Des cris, des tambours
À vous rendre sourd
Et toujours pas d'amour
{Refrain:}
J'ai beau garder les yeux
Grands écarquillés
Je ne vois que
Des regards un peu lourds
Et des mots balourds
Mais toujours pas d'amour
Sourires de vautour
Dis, tu viens faire un tour
Et toujours pas d'amour
Les gens et les jours
Retards et retours
Mais toujours pas d'amour
Des cris, des tambours
À vous rendre sourd
Et toujours pas d'amour

Divirtam-se com o francês que, afinal, não é assim tão aborrecido nem tão difícil como se julga!

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

AINDA HÁ BOM E BARATO

Termina no próximo dia 24 de Fevereiro a feira "Festa do livro" no Mercado Ferreira Borges, no Porto onde mais de 100 mil livros vão estar à venda. Francisco Curralo, da Calendário de Letras, organiza o evento e informou que «Mais de uma centena de editoras estarão representadas nesta feira, que será constituída não só por livros já descatalogados, mas também por livros bastante recentes que já não têm lugar nos escaparates das livrarias». Referiu ainda que todos os livros oferecidos nesta iniciativa terão descontos que vão desde os 30 aos 80 por cento sobre o preço original. Vale bem a pena! Nós lá estivemos e fizemos as nossas comprinhas!

sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

SEMANA DA LEITURA 2008

Cartaz do PNL para promoção da Semana da Leitura 2008

O PNL conta com as escolas, com as bibliotecas, com os alunos e respectivos pais para a festa da leitura que decorrerá na semana de 3 a 7 de Março. A escola EB 2,3 de Arrifana está a preparar a sua. Em breve daremos pormenores do cartaz publicitário e do programa. Só para levantar o véu, o tema da nossa semana vai ser "13 bons motivos para LER+". Porquê o número 13?
Ficamos à espera que respondam a esta pergunta!...

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

DENTES DE RATO


Os adultos são "uns chatos" que as crianças não compreendem. Impõem regras, exigem obediência e bom comportamento. Até mesmo Marta, que só tem 12 anos, já quase passou para o outro lado, o lado adulto aborrecido.
Lourença é a "Dentes de Rato" porque tem a mania de "morder a fruta da fruteira e deixar lá os dentes marcados". Prefere a solidão e, mesmo partilhando o quarto com a irmã, vive só e descobre o mundo sozinha. Não faz perguntas porque não confia nas explicações que lhe possam dar e observa tudo para obter sozinha as respostas às dúvidas que tem.
Ela é a poesia e voa na sua cama transformada em palco, piroga ou transatlântico onde vive grandes aventuras.
Rebelde por natureza, detesta a ordem instituída pelos adultos:

  • As roupas que a mãe lhe impõe para fazer dela uma menina maravilhosa;
  • Ir de castigo para o jardim;
  • O colégio interno para onde recusou voltar porque não gostava de rezar;
  • As professoras que a preferiam ignorante pois o muito que sabia confundia-as.
A estória continua no livro Vento, areia e amoras bravas.

A PROPÓSITO DO LIVRO ÁGUAS DE VERÃO, DE ALICE VIEIRA

A narradora, Marta, conta-nos a estória da sua família burguesa num tempo longínquo em que havia tempo. A mãe passava tardes com as amigas a tomar chá; a criada ocupava-se da casa; a professora particular ocupava-se da educação das crianças; a costureira ao domicílio fazia a roupa da família e bordava intermináveis lençóis. Um tempo sem televisão em que as notícias e as músicas eram ouvidas na telefonia. Um tempo em que os pregões dos vendedores de rua marcavam o giro das estações e o passar lento do tempo.
Um tempo em que ter uma boneca espanhola era um luxo. Um tempo em que se podia fazer férias em Setembro porque “nesse tempo o tempo era diferente e as férias duravam muito.” Um tempo em que os quereres eram dos pais, não dos filhos, “por isso mesmo é que eles eram pais. Ponto final.” Um tempo em que ficar distinto no exame da 4ª classe era uma honra e uma obrigação. O tempo da Cartilha Maternal...
Tanta rigidez trazia infelicidade às crianças, sobretudo naquele “Grande Hotel das Termas” onde eram olhadas como cãezinhos amestrados pelas mesmas caras de todos os anos. No entanto, num certo dia, o saxofonista Gualberto trouxe a alegria e rompeu com a monotonia de dias de férias intermináveis.

CONCURSO NACIONAL DE LEITURA 2008 - 2º FASE EM AVEIRO

Águas de Verão de Alice Vieira e Dentes de Rato de Agustina Bessa-Luís são os eleitos por Aveiro para a 2ª fase do CNL, que vai decorrer no dia 4 de Abril de 2008. E muito bem! São dois livros cheios de humor, repassados de memórias que os jovens de hoje não têm e que devem conhecer porque vêm carregadas de “sensibilidade e bom senso”. Ambos seguem a mesma linha: reminiscência do passado vivido por famílias burguesas tradicionalistas (no primeiro do Sul, no segundo do Norte do país) onde o respeito, a educação e submissão das crianças eram o ponto de ordem. Crianças mais infelizes por tanta rigidez? Nem por isso! Havia sempre maneira de contornar as regras e de descobrir onde encontrar o divertimento e o sabor da alegria.
Para saberes mais sobre estas duas grandes autoras da literatura portuguesa clica nos seus nomes: Alice Vieira e Agustina Bessa-Luís.

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

SEGURANÇA NA INTERNET

Celebrou-se, hoje, dia 12 de Fevereiro, o Dia Europeu da Internet Segura. A nível Europeu decorrem actividades de divulgação de informação sobre como deveremos fazer uma navegação na Internet de uma forma segura, positiva e esclarecida. A comunicação social também alertou para este problema podendo ser visto aqui um filme sobre o assunto. Eis alguns endereços úteis para alunos, pais e professores:

Em português:
http://www.internetsegura.pt/
http://www.seguranet.pt/
http://www.miudossegurosna.net/
http://linhaalerta.internetsegura.pt/
http://www.eiclicaqui.com/comissario/default.htm
http://www.cert.pt/%20http://www.microsoft.com/portugal/athome/security/default.mspx




A este propósito, deixo a sugestão do livro Lágrimas Quebradas, de Alexandre Honrado, o primeiro da colecção "Casos Reais".
Luísa é uma das personagens cheias de problemas de vária ordem. O dela é o homem que conheceu na Internet e pelo qual se apaixonou, dele sabendo apenas o nickname: Dead Clock. O nome não anunciava nada de bom mas, mesmo assim, Luísa teimava em passar noites em claro, teclando. Andava magra, estourada, e dormia durante o dia, mesmo nas aulas. E as "conversas" com o Dead Clock continuavam, dia e noite. Mentirosas. Falsas. E um dia, Luísa desapareceu de casa. Apenas um bilhete: "Cecília, não te preocupes. Fui ter com o Dead Clock."
A continuação da história, o que aconteceu a Luísa e a todas as outras personagens, vem nos livros seguintes da colecção.
A não perder.

domingo, 10 de fevereiro de 2008

FRASE DO MÊS (SOBRE O AMOR)





"O amor é cego, e os namorados nunca vêem as tolices que praticam ."

William Shakespeare 23 de Abril de 1564 - 23 de Abril de 1616





Para conheceres mais frases sobre o amor, de ilustres escritores portugueses e estrangeiros, consulta o Clube de Leituras.

Já que o mês de Fevereiro é o mês dos namorados, a propósito do tema, sugiro alguns livros. Que o amor seja pretexto para boas leituras!





E ainda:
  • 3 histórias de amor, Álvaro Magalhães
  • Inês de Castro, Ana Oom
  • O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, Jorge Amado
  • Amor de Perdição, Camilo Castelo Branco
  • Inês de Portugal, João Aguiar
  • Lendas de amor, Gentil Marques
  • Tristão e Isolda (anónimo)
  • Diário da nossa paixão, Nicholas Sparks
  • Poemas de amor, Inês Pedrosa (org.)

"MATEMÁTICA COM AMOR" - CONCURSO DE POESIA

Está a decorrer no Agrupamento, até ao final do mês de Fevereiro, um concurso de poesia subordinado ao tema do amor. Uma regra: tem de se usar vocabulário da matemática. Outra regra: tem de ser original. Facultativo: o poema pode vir ilustrado (ficará mais rico!).
A título de exemplo aqui fica o poema da professora Anabela Soares que se inspirou para poder inspirar os seus alunos.

Amor e matemática
Tão exacta como este sentimento
Só a pura matemática.
Ao amor adiciono emoção,
Subtraio a razão,
Multiplico a ilusão
E divido por nós dois.
Equaciono a hipótese
De te ter infinitamente,
Faço a média ponderada
Do tempo que já amámos
E provo por a+b
A base da nossa relação.
Quadrado, triângulo
Círculo, rectângulo
São as formas geométricas
Comprovadamente perfeitas.
Tal é o nosso amor
Com linhas curvas e planas,
Lados, bases e distâncias
Que o tempo foi encurtando.
Quanto ao resto ou à diferença,
São conceitos a esquecer,
Paralela a ti quero estar
E na raiz quadrada crescer!

Organização do concurso: grupos disciplinares de Língua Portuguesa e Matemática (3º ciclo) e coordenadora da BE/CR.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

PRÉMIO ATRIBUÍDO A MANUEL ALEGRE


Livro recomendado pelo PNL, para alunos de 7º ano, destinado a leitura orientada na sala de aula (grau de dificuldade II).
"O livro de poesia "Doze naus", de Manuel Alegre, editado em 2007 pelas Publicações Dom Quixote, foi distinguido com o Prémio D.Dinis 2008, atribuído pela Casa de Mateus. Os escritores António Lobo Antunes, Lídia Jorge, José Cardoso Pires, Nuno Júdice, José Saramago, Sophia de Mello Breyner e Miguel Torga foram alguns dos anteriores vencedores deste prémio, um dos mais prestigiados no panorama literário português."
Jornal de Notícias, 26 de Janeiro de 2008





Algumas das obras do poeta:
  • Praça da canção
  • O canto e as armas
  • Alentejo e ninguém
  • As naus de verde pinho
  • Livro do português errante
  • Diálogos = Cristina Valadas + Manuel Alegre, Doze Poemas inéditos de Manuel Alegre dialogam com 20 aguarelas/técnicas mistas de Cristina Valadas
  • Cão como nós
  • Jornada de África
  • O homem do país azul
  • Alma
  • Uma carga de cavalaria
Muitos dos seus poemas foram musicados e cantados desde a publicação do seu primeiro livro. Um dos meus poetas favoritos para ser lido e apreciado.
Tudo sobre o poeta, o político, o lutador aqui.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

REGICÍDIO HÁ CEM ANOS

«Mataram o rei no Terreiro do Paço!»

Este grito alastrou velozmente por Lisboa na tarde de 1 de Fevereiro de 1908, há cem anos exactos. O rei D. Carlos, a rainha D. Amélia e os príncipes D. Luis Filipe e D. Manuel, de regresso de umas férias em Vila Viçosa passavam por Lisboa. A multidão reunida no Terreiro do Paço, para assistir ao cortejo real, estava prestes a presenciar um momento dramático proporcionado por um homem que disparou contra a carruagem real. Logo de seguida, um outro conspirador aproximou-se da carruagem e desferiu vários tiros de pistola contra o rei, a rainha e os príncipes."
A propósito do assassínio do rei, aqui ficam sugestões de leitura.
Em Mataram o Rei, da colecção "Viagens no Tempo", Orlando leva Ana e João na máquina do tempo em busca de um criminoso perigosíssimo que tem como alcunha o Toupeira. João vai envolver-se, sem querer, com um grupo de revolucionários que se prepara para assassinar o rei D. Carlos...
Em Crime no expresso do tempo, de Luísa Ducla Soares, também há uma referência a esta passagem da História de Portugal. O expresso pára abruptamente, precisamente na altura em que estão a atirar sobre a família real.
Recente é o livro O dia em que mataram o rei, de José Jorge Letria, cujo lançamento decorreu em Janeiro.
Foi assim, há cem anos atrás, o princípio do fim da monarquia em Portugal.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...