terça-feira, 18 de novembro de 2008

OS SETE CAVALEIROS DE CORES


Foi esta a estória que oito alunos contaram aos seus colegas de duas turmas de 5º e 6º anos (ambas têm um aluno que se desloca em cadeira de rodas), para lhes mostrar que é a diferença que dá o colorido ao mundo e o torna mais bonito. A hora do conto foi organizada em parceria entre a BE/CR e a professora de Educação Especial, a narradora. As personagens foram encarnadas por alunos "diferentes" (dois de etnia cigana, um ucraniano, um tailandês, um de raça negra e três com necessidades educativas especiais) que souberam transmitir muito bem a mensagem do conto.
A todos que assistiram foi oferecido um marcador contendo frases com definições de tolerância, da autoria de alguns alunos. Foram apresentados livros que abordam este tema e os alunos foram desafiados a escrever e desenhar o modo como vêem a tolerância. Quem sabe, não será possível publicar um livro com estes trabalhos? Esperemos que eles sejam bem criativos!

4 comentários:

Anabela Névoa disse...

Os alunos estiveram óptimos. Julgo que aprenderam o essencial sobre a tolerância e o que significa ser tolerante.
Obrigada a todos pela vossa participação.

Anónimo disse...

EU chamo-me João e sou um aluno de raça cigana. Na historia dos setes cavaleiros eu representei o cavaleiro azul. Gostei muito de participar nesta actividade e aprendi que devemos ser tolerantes com todas as pessoas.
Ser tolerante é... aceitar todas as etnias.

Anónimo disse...

Olá,eu chamo-me Leonardo. Gostaria de dizer aos meus professores e aos meus colegas muito obrigado por terem assistido à representação da peça os "Sete cavaleiros". Foi uma actividade diferente e aprendi que ser tolerante é...ser amigo.

BE/CR da Escola EB 2,3 de Arrifana disse...

Olá, João e Leonardo:
Gostei muito de vos ter a colaborar com a BE. Espero contar mais vezes convosco.
Ana Paula Oliveira

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...